domingo, 3 de dezembro de 2017

Ser Poeta

Em 2013, no Bar dos Amigos, no bairro Airton Sena, em Fortaleza,
o poeta Elias Queiroz, também folheteiro (vendedor), estava como
de costume gravando a cantoria, quando o poeta João  Amoroso,
que cantava com José Soares, perguntou nesta sextilha, ao poeta
Guaipuan, o que era sê poeta:

Guaipuan você  me diga
Com um verso bem certeiro
Pra você o que é poeta,
No mundo do violeiro,
Do cordel e poesia
No Nordeste brasileiro?(João  Amoroso)

Guaipuan ouvia atentamente. Ele é improvisador, mas se dedica na produção  do cordel. Já tinha bebido uma pinga boa. E ficou matutando, enquanto a dupla cantava. Logo sobressaiu , com esta estrofe:

Quem nasce pra ser poeta
O verso tem rima pura,
Expressa oração correta
E a métrica é bem segura. 
Espontâneo versejar
Que o tempo faz registrar
Em sua casa de cultura. (Guaipuan Vieira)



sábado, 11 de novembro de 2017

EXPOSIÇÃO DE XILOGRAVURA E CORDEL NO II SEMINÁRIO 
DE FORTALEZA

Cecordel participou do II Seminário de Fortaleza, Desafios para o fortalecimento da Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, promovido pelo IPHAN, núcleo de Fortaleza. O evento aconteceu no Sineteatro São Luiz, nos dias 9,10 e 11 de novembro. Na exposição de cordel estiveram à frente os poetas Gerardo Carvalho(Pardal), Guaipuan Vieira, Paulo de Tarso e Nonato. O curador da exposição de xilogravura foi o poeta e xilógrafo Otávio Menezes, da SECULT. Estão na foto: Guaipuan,Igor do IPHAN,Pardal e Nonato. 



sábado, 2 de setembro de 2017

XILOGRAVURAS DE OTÁVIO MENEZES


Realizada na XII Bienal internacional do Livro do Ceará e inspirada no tema do evento “Cada pessoa, um livro; o mundo, a biblioteca”

Certo dia, fui surpreendido por Otávio Menezes, poeta, cordelista e xilógrafo, com três matrizes e gravuras dos Mestres Expedito Seleiro, Lucas Evangelista e Mestra Dina, narrado suas biografias. Fiquei encantado com o trabalho e lancei um desafio para que fizesse as 59 matrizes com os Mestres e Mestras da Cultura. Com maestria, Otávio talhou os traços de cada um dos Mestres e Mestras da Cultura. Com esses talhos, revelou não só os veios das marcas temporais em seus rostos, mas também as veias e vias das artes ofícios, dos sabores e fazeres dos Mestres e Mestras que transmitem nos mais diversos rincões do Ceará seus conhecimentos milenares e comunitários, pois a cultura é um saber\fazer comum e solidário, como a vida desses mestres e como essa bela exposição de Otávio Menezes que, na verdade, é uma celebração à cultura popular e tradicional do Ceará.

        Fabiano dos Santos Piúba – Secretário da Cultura do Estado do Ceará
                                                                                   
SÃO 59 GRAVURAS - TESOUROS VIVOS DO CEARÁ- MESTRES E MESTRAS DA CULTURA POPULAR TRADICIONAL
       ACESSE:http://www.cecordel.com.br/

30 ANOS PRESERVANDO E INCENTIVANDO O FOLHETO DE FEIRA-CORDEL-

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

 Espanha chora seus mortos

No encerramento da II Feira do Cordel Brasileiro, realizado nos dias 17 a 20 de agosto, na Caixa Cultural Fortaleza, o poeta Guaipuan Vieira ao se apresentar, leu este poema de cordel, em solidariedade ao povo espanhol, vítima de mais um atentado terrorista.
Espanha chora seus mortos
Toda Europa se enlutece,
O mundo com sentimento
Entre a emoção se entristece,
E aquela mão assassina
Vai seguindo sua rotina,
Para ver quem mais padece.

Mês de agosto, dezessete
Na região Barcelona,
Uma pessoa insensata
Numa van, o mal detona,
Sem mudar itinerário
A promover vil cenário
Com sua mente desumana.

Foi em via mais turística
La Rambla, muito famosa,
Atropelou tanta gente
Que a cena foi pavorosa,
A Europa se encontra alerta
Mas Barcelona desperta,
Muito enfrenta ação danosa.

Aquele povo espanhol
Mostra ação e esquece o medo,
Muito auxilia a polícia,
Informa tudo em segredo.
Que esse exemplo o mundo siga
E ao terrorista ele diga:
Que ficará sem enredo.

terça-feira, 25 de abril de 2017


XII Bienal Internacional do Livro e poetas populares

A XII Bienal Internacional do Livro, que aconteceu no Centro de Eventos do Ceará, entre os dias 14 a 23 de abril de 2017, é um dos maiores eventos culturais do Estado. Apesar de ter começado sexta-feira da semana santa, o fortalezense marcou presença para prestigiar esse evento que já se tornou o xodó do cearense. Exposição de livros, revistas e cordéis, apresentações de repentistas, cordelistas, debates, lançamentos para todos os gostos.  Na Praça do Cordel, sobre curadoria do poeta Klévisson Viana, dia 18, aconteceu a entrega de homenagens aos poetas Bule-Bule, Geraldo Amâncio, Zé Maria de Fortaleza, Gilmar de Carvalho e Josenir Lacerda. In memoriam a Rodolfo Coelho, Idalzira Bezerra, Hermes Vieira e Leonardo Mota. Rodolfo foi

comentado por Bule-bule, Hermes, por seu filho também poeta, Guaipuan Vieira. Klévisson Viana comentou a poesia do homenageado. Os poetas Paulo de Tarso, Edson Neto e Lucarocas recitaram versos daquele poeta piauiense que encanta gerações. A poetiza Idalzira, foi comentada uma peculiaridade. Ela comunicava-se com os filhos, em cartas versadas. Os filhos atribuíram à mãe a mesma modalidade, o que vem passando de geração em geração daquela família cearense. Também foi homenageado Leonardo Mota, folclorista que percorreu o Nordeste brasileiro, registrando acontecimentos, destacando a poesia popular. O poeta Guaipuan Vieira fez lançamentos dos folhetos
A suposta morte de Virgulino Ferreira, Lampião,  A peleja de Antônio Sola Crua com Zé da Prata,  Série Personalidades do Rádio Cearense, Edições Cecordel. 


Cordéis que foram lançados, e o troféu em homenagem ao poeta Hermes Viei
Séria: Personalidades do Rádio Cearense






 
Poetas: Lucarocas, Edson Neto e Paulo de Tarso,
recitam versos de Hermes Vieira.


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

CAUSO POÉTICO

Na véspera de Natal de 2015, o poeta Guaipuan Vieira estava com a família, na igreja de Fátima, em Fortaleza. Ao encontrar-se com o poeta Paulo de Tarso e esposa, improvisou esta sextilha:


Poeta Paulo de Tarso,
Com a esposa, grande dama!
Sei que a luz do Pai divino
À família mui proclama,
E segue agradando ao Pai,
Porque de paz não reclama.



sábado, 10 de setembro de 2016

PROJETO SOCIAL LANÇA LIVROS

A OSCIP chamada mais diferenças. Projeto de Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, lança dia 11 de setembro, na Casa Brasil, no Rio de janeiro, 25 livros, dentre eles a “Terrível história da perna cabeluda”, de autoria do poeta Guaipuan Vieira. Esta literatura popular que ganhou os palcos através de peça teatral e livros didáticos, agora ganha nova  modalidade cultural. As obras atendem pessoas com deficiência visual. 
Em abril de 2014 a Mais Diferenças firmou convênio com a Fundação Biblioteca Nacional, órgão ligado ao Ministério da Cultura, para executar o Projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, em 10 bibliotecas brasileiras selecionadas pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP). O projeto visa contribuir com o fortalecimento das políticas, programas e projetos relativos ao livro e à leitura, introduzindo a questão da acessibilidade e inclusão de forma articulada e transversal, contemplando seis etapas: Diagnóstico; Comunicação e Produção de Conteúdo; Qualificação do Acervo; Acesso à Tecnologia Assistiva; Capacitação das Equipes e Fomento ao Trabalho em Rede. A produção de livros em diferentes formatos acessíveis é uma estratégia relacionada à qualificação do acervo das bibliotecas, uma vez que a oferta de livros em diferentes formatos acessíveis ainda é bastante reduzida no Brasil.

 Lançamento: 11 de setembro de 2016                    
 Local: Casa Brasil
 Armazém 1 do Píer Mauá
 Avenida Rodrigues Alves,10, na Praça Mauá, Rio de Janeiro-RJ
 Horário: Das 14h30 às 16h30
  
Guaipuan Vieira, 65 anos. 40 anos produzindo cordel- Pertence a Academia Brasileira de Literatura de Cordel-ABLC e Fundador do Cecordel.
ACESSE: