quarta-feira, 28 de janeiro de 2015



DISSERTAÇÕES & ESTUDOS SOBRE CORDEL


Reprodução


O FOLHETO NA HISTÓRIA E A HISTÓRIA NO FOLHETO
Práticas e Discursos Culturais do Cordel de Circunstância
em Fortaleza (1987- 2007) - Alyne B. F. Virino Ricarte
 
Este fato (a criação do Cecordel) marca um período novo na
Literatura de Cordel, em Fortaleza até esta data, não existia um
núcleo que se preocupasse exclusivamente com a produção de
cordel ... o impulso que faltava para realização do cordel urbano...
Ler mais: Dissertação folheto na história - Alyne Virino ... - Uece
  
*************

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Foram encontrados três folhetos que retrataram a temática AIDS. Para familiarizar os leitores com os cordelistas do presente estudo, teceremos breves comentários sobre eles. Manoel Monteiro nasceu em Bezerro, Pernambuco, em fevereiro de 1937. Importante cordelista brasileiro em atividade, com uma produção densa e diversificada, abordando temas de toda a área da atividade humana e membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel. Em razão da qualidade de sua produção, a literatura de cordel está sendo indicada para a grade escolar de várias cidades brasileiras. 4-7 Outro cordelista foi Elizeu de Souza Paulino, nascido em 1964 em Pacatuba no Ceará, com vários folhetos publicados. Atualmente representa os poetas populares na Banca Nacional do cordel, na praça dos Correios, no centro de Fortaleza.8 Os demais autores foram Guaipuan Vieira e Gerardo Carvalho (Pardal).


O primeiro é Membro da Academia Municipalista de Letras do Estado do Ceará e Presidente do Centro Cultural dos Cordelistas do Nordeste (Cecordel), e o segundo é poeta cordelista, graduado em Filosofia Pura, especializado em Tecnologia Educacional em nível de pós-graduação lato sensu e estudante de Comunicação Social. Em 1994 destacou-se entre os doze primeiros colocados do Prêmio de Literatura de Cordel do Ceará, promovido pelo Governo do Estado do Ceará, com 120 concorrentes. 9 Os folhetos tiveram como temas, autores e conteúdo, respectivamente: Quem não usa camisinha, não pode dizer que ama, de Manoel Monteiro, que retrata doenças sexualmente transmissíveis; prevenção do HIV e educação em saúde (uso da camisinha); origem do vírus e conseqüência da infecção; grupos de risco; aborto, sinônimo de inconseqüência; educação no pré-natal; teste e exameutilizado no diagnóstico da AIDS; situações em que não há a contaminação pelo vírus; câncer (CA) de mama e colo uterino (prevenção e exames); Previnase contra a AIDS, de Elizeu de Souza Paulino, que aborda a contaminação, transmissão; prevenção e prostituição x HIV/AIDS; e Previna-se contra a AIDS: ela mata, de Guaipuan Vieira e Gerardo Carvalho (Pardal), que discorre a respeito da ação do vírus;prevenção; gestante x HIV/AIDS e situação em que o vírus não contamina. Ler mais: Pág.664: http://www.redalyc.org/pdf/714/71416410.pdf

***************

História de cordel



Postado em 09/03/2005



Em 28 de outubro de 2002, um dia após a vitória de Lula no segundo turno, o poeta Guaipuan Vieira, piauiense radicado no Ceará, onde fundou o Centro dos Cordelistas, compôs o "livrinho" Lula, um Operário na Presidência, o primeiro dos muitos que saudariam a ascensão de um nordestino humilde ao cargo de primeiro mandatário da República. Três anos depois, porém, ele confessava sua decepção em O Famoso Mensalão e a Caixa-Preta do Governo do PT, em parceria com Zé Furtado:



Marcos Valério e Delúbio
Aparecem no cenário
Fazem cair Genoíno
Dirceu seguiu itinerário
Duda Mendonça presente
Complicou o presidente
Com terrível comentário.

Enquanto isso o nordeste
Com todo seu solo quente
Mesmo com tanta energia
Vê sofrer a sua gente
Quem lhe prometeu fartura
Vai perdendo a estrutura
De ser grande presidente
Ler mais: http://www.sescsp.org.br/online/artigo/compartilhar/3288_HISTORIA+DE+CORDEL
              
**************

A CULTURA DOS CORDÉIS

 (...)Aprendizado, inúmeras possibilidades educativas, seja porque favorece o aprendizado, a partir do lúdico, seja porque é um recurso de ensino que, ao trabalhar com uma linguagem e com temas do cotidiano, favorece o ensino aprendizagem. Dito de outra forma, o poeta popular, ao se dirigir ao seu públicoleitor, deseja que ele compreenda o que quer dizer. Por isso, em seus textos, fala ao seu leitor numa linguagem que ele entende. O poeta Guaipuan Vieira, sinalizando para essa questão, enfatiza que “A literatura de cordel, nos dias atuais, é uma rica ferramenta pedagógica de incentivo à leitura e à oralidade dos séculos, levando-nos a ser leitores fluentes e críticos no universo prosaico” (GUAIPUAN VIEIRA).

O poeta de cordel usa palavras rimadas para ressaltar o que ocorre no cotidiano e que faz parte do mundo social e da realidade da vida, com o objetivo de se dirigir ao povo, mas, ao ser introduzido no mundo da escola, o que ele produz ensina numa dimensão educativa que, alçada num saber popular, possibilita a construção do conhecimento no espaço da escola, integrando o educando à sua realidade, ao seu mundo e à vida. Nos folhetos, os poetas povoam...(Pág.166) Ler mais: A CULTURA DOS CORDÉIS: território(s) de tessitura de ...

***************
Universia disponibiliza títulos de cordel na web
Com um clique, o universo do sertão nordestino se descortina na tela do computador, a Universia Brasil acaba de disponibilizar 40 folhetos de literatura de cordel para download.  O sucesso da novela Cordel Encantado foi uma boa amostra do poder de sedução do gênero literário tipicamente brasileiro, especificamente da região Nordeste. E as novidades no resgate da literatura de cordel não param aí. Agora, com um clique, o universo do sertão nordestino se descortina na tela do computador. A Universia Brasil acaba de disponibilizar 40 folhetos de literatura de cordel para baixar gratuitamente pela internet. Ler mais: 

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

A festa de posse da Academia Piauiense de Literatura
de Cordel-APLC
    Autoridades na posse de acadêmicos da APLC - 1ª foto à direita: Desembargador Edvaldo Pereira de Moura, do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí.(Fotos:Larissa Rodrigues)



1ª foto, lado esquerdo: Pedro Costa-presidente da APLC e Dalinha Catunda - da ABLC). 2ª foto, lado esquerdo: Mãe Nena, Madrinha dos Poetas, Guaipuan, Dalinha e a poetisa Ilza, confreira da APLC. 3ª foto, poetisas já mencionadas e o secretário da Fundação Monsenhor Chaves, político, cantor e músico piauiense Lázaro do Piauí. 4ª foto: Mãe Nena outorga troféu medalha da APLC ao Dr. Pedro Mendes Ribeiro, criador do Festival de Violeiros do Piauí e apresentador do programa “Sertão por Dentro e Por Fora” (violas), na Rádio Pioneira de Teresina.
Poetisa Dalinha Catunda da ABLC, recebe da APLC a Comenda de Mérito Cultural, Poeta Firmino Teixeira do Amaral.
  Não fiquei surpreso com a notícia do poeta Pedro Costa, ao informar-me a criação da APLC, fundada em 21 de abril de 2014, na verde capital piauiense.  Certa ocasião tinha me falado desse projeto, não duvidei das suas pretensões em prol da cultura.  Sou conhecedor de seu trabalho à frente da Funcor - Fundação do Cordel, o que fez capaz de envolver não somente poetas populares, mas todos aqueles engajados na difusão do Cordel como veículo de comunicação de massa. A APLC é, portanto, a soma desse esforço. Obviamente trará novos projetos renovados em prol dessa arte que encanta gerações.(Guaipuan Vieira)


COMENTA DALINHA CATUNDA:Tive o prazer de assistir, como convidada de Pedro Nonato Costa, a festa de posse dos Acadêmicos da APLC – Academia Piauiense de Literatura de Cordel. O repentista e cordelista, Pedro Costa, membro da ABLC, não mediu esforços para levar uma representação da Academia Brasileira de Literatura de cordel. E lá esteve: Gonçalo Ferreira da Silva, presidente da ABLC, Madrinha Mena e esta que vos fala: Dalinha Catunda. O... cordel está muito bem representado em Teresina, pelo que pude observar Pedro tem um apoio de peso da sociedade piauiense. Políticos e autoridades locais prestigiaram o evento e apoiam Pedro nesta sua peleja maior que tem como mote a cultura popular. Quero aqui a gradecer ao primeiro secretário da APLC, Francisco de Almeida, que foi um excelente cicerone nos acompanhando nas jornadas em Teresina. Ainda nos agradecimentos, agradeço a APLC, que me contemplou com a Comenda de Mérito Cultural, a qual recebi das mãos do Desembargador Edvaldo Pereira de Moura do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí. Obrigada, a Luiz Carlos que para minha surpresa ocupou duas páginas da revista “De Repente” com meus versos. Meu querido amigo e confrade da ABLC, Guaipuan Vieira, natural do Piauí e cearense de coração, tomou posse na Academia Piauiense de Literatura de Cordel e teve o privilégio de receber como patrono seu pai, o poeta indianista, Hermes Vieira. O que também achei importante foi a presença das mulheres ocupando cadeiras na APLC, e entre elas minha amiga Ilza Bezerra, simpatia em pessoa que nos acompanhou em passeios. Não poderia detalhar em um só texto todos os acontecimentos desta jornada piauiense, mas posso finalizar dizendo que fomos muito bem recebidos, e Pedro Costa nos proporcionou o que o havia de melhor no Piaui.

27 ANOS (1987) TRABALHANDO EM DEFESA DA LITERATURA DE CORDEL

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

CRIAÇÃO DA IMAGEM 25/11/2014

O Lunga dos cordéis


A fama de homem bruto começou a se espalhar inicialmente pelo centro de Juazeiro do Norte e assim foi até 1987, quando o cordelista Abraão Batista publicou o primeiro volume de As histórias de Seu Lunga – o homem mais zangado do mundo. O livreto de 32 páginas fez sucesso pela cidade, ganhando segunda edição no ano seguinte. A partir daí, a lenda do homem zangado passou a percorrer todo o Estado e depois o País.
Colecionador de cordéis, o professor aposentado Renato Casimiro guarda 84 folhetos de 65 autores diferentes com as brutalidades atribuídas ao mito Lunga. “Com os cordéis de Abraão, o folclore em torno do Lunga cresceu”, conta Renato, que conhece o famoso juazeirense desde 1959. “Os cordelistas pegavam coisas isoladas e criavam até coisas pejorativas que eu não imagino que ele tenha dito”.

Por 13 anos, Abraão Batista foi o único autor a publicar histórias sobre o personagem. Até que em 2000, os cordelistas Guaipuan Vieira e Elizeu Paulino escreveram As proezas de Seu Lunga, abrindo margem para que outros passassem a publicar histórias. Em 2011, Lunga ganhou na Justiça ação contra Abraão Batista, que ficou proibido de escrever histórias envolvendo o sucateiro.
“Tudo isso foi uma construção coletiva, que partiu de uma característica que era dele, mas também com muita projeção. E é importante dizer que, mesmo sendo sempre provocado, Lunga nunca assumiu um personagem”, completa o colecionador Renato Casimiro.

Fonte: Jornal o Povo -VIDA& ARTE

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Confira a programação completa

da XI Bienal Internacional do Livro:

Praça do Cordel

10.12.2014 (Quarta-Feira)

Auditório Principal (Térreo)

09h00 - 17h00: Apresentação do Projeto Nas Ondas da Leitura com lançamentos de livros de crianças dos municípios de Acopiara, Camocim, Croatá, Eusébio, Granja, Morada Nova, Novo Oriente, Pentecoste, Recife, Tauá, Ubajara e Viçosa do Ceará e o lançamento do livro do poeta Pedro Bandeira do Juazeiro – “Príncipe dos poetas populares”.

Praça José de Alencar (Térreo)
12h00 - 14h00: Almoço com poesia: poesia é pra comer – homenagem a Francisco Carvalho, com Templo da Poesia


Praça do Cordel (Térreo)
14h00 – 16h30: Oficina de cordel com Guaipuan Vieira e Pardal (Praça do Cordel)

15h: Abertura do IV Congresso de Cordelistas, Editores e Folheteiros:
Palestra: “A Literatura de Cordel de Inácio da Catingueira, Leandro Gomes de Barros aos dias atuais” com Arievaldo Viana e Arlene Holanda.
Lançamento dos livros: “Leandro Gomes de Barros – Vida e Obra” e “Inácio, o Cantador-Rei de Catingueira” de Arievaldo e Arlene Holanda.
Mediação: Antônio Andrade Leal (Tuíca do Cordel)

17h: Lançamento do livro: “A Roupa Nova do Rei, ou o encontro de João Grilo com Pedro Malazarte” de Marco Haurélio(Editora Volta & Meia)

18h: Recital: Grupo CECORDEL; lançamento dos folhetos: “Adeus a Jair Rodrigues” e “A Nação apavorada com medo da violência” de Guaipuan Vieira; “As façanhas de Josué e seu bodinho milagreiro”, “Tudo pela vida, nada pelo aborto”, “O encontro do grilo com a borboleta” de Gerardo Carvalho Frota (Pardal), “O milagre do reencontro” de Edson Neto e “Meu Quixadá” de Maria Luciene e lançamento dos livros: “Cultivos da terra cantados em versos populares” de Pardal e “Histórias infantis em poesia popular” de Vânia Freitas

19h: Lançamento dos cordéis “A chegada de Seu Lunga no Céu” de Paulo de Tarso e “O Auto do Velho Lunga – inferno, céu e purgatório” de Arievaldo Viana e Klévisson Viana,“A chegada de Seu Lunga no Paraíso Celeste” de Jesus Rodrigues Sindeaux e “A chegada de Seu Lunga no Reino Celestial”


19h30: Lançamento do livro: “Cordel da Natureza”, de Doizinho Quental e Zé Maria de Fortaleza.
Recital de Zé Maria de Fortaleza e convidados



ACESSE:

Enviei seus trabalhos

terça-feira, 9 de dezembro de 2014


GUAIPUAN VIEIRA NA APLC

Sexta-feira (5), na sede do Projeto "Música para Todos”, em Teresina, tomei posse na Academia Piauiense de Literatura de Cordel – APLC. Patrono da cadeira nº 5, o poeta folclorista e indianista Hermes Vieira, meu saudoso pai. É oportuno dizer-lhes que também pertenço a ABLC.  Mesmo sabedor das minhas limitações de poeta, por estar substituindo um mestre da poesia popular, possuidor de estilo inimitável, comprova-se nos seus versos, em que se vê a métrica, com tônicas sempre na 3ª e 7ª sílaba.


SOBRE A APLC - Não fiquei surpreso com a notícia do poeta Pedro Costa, ao informar-me da criação da APLC, fundada em 21 de abril de 2014, na verde capital piauiense.  Certa ocasião tinha me falado desse projeto, não duvidei das suas aptidões em prol da cultura.  Sou conhecedor de seu trabalho à frente da Funcor, o que fez capaz de envolver não somente poetas populares, mas todos aqueles engajados na difusão do Cordel como veículo de comunicação de massa, que não deixou de abastecer o povo, de notícia fácil, devido seu estilo versátil e satírico, que agrada a leitura. APLC é, portanto, a soma desse esforço. Obviamente trará novos projetos renovados em prol dessa arte que canta e encanta gerações.




































ACESSE: http://www.cecordel.com.br/


Visitantes até agora: 180280
Participe, envie seus trabalhos,
você faz parte desse sucesso!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

POETA GERARDO CARVALHO(PARDAL) TOMA POSSE NA APLC


SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SME - ENVIA PROFESSOR E POETA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PARA TOMAR ASSENTO NA ACADEMIA PIAUIENSE DE LITERATURA DE CORDEL