sábado, 2 de setembro de 2017

XILOGRAVURAS DE OTÁVIO MENEZES


Realizada na XII Bienal internacional do Livro do Ceará e inspirada no tema do evento “Cada pessoa, um livro; o mundo, a biblioteca”

Certo dia, fui surpreendido por Otávio Menezes, poeta, cordelista e xilógrafo, com três matrizes e gravuras dos Mestres Expedito Seleiro, Lucas Evangelista e Mestra Dina, narrado suas biografias. Fiquei encantado com o trabalho e lancei um desafio para que fizesse as 59 matrizes com os Mestres e Mestras da Cultura. Com maestria, Otávio talhou os traços de cada um dos Mestres e Mestras da Cultura. Com esses talhos, revelou não só os veios das marcas temporais em seus rostos, mas também as veias e vias das artes ofícios, dos sabores e fazeres dos Mestres e Mestras que transmitem nos mais diversos rincões do Ceará seus conhecimentos milenares e comunitários, pois a cultura é um saber\fazer comum e solidário, como a vida desses mestres e como essa bela exposição de Otávio Menezes que, na verdade, é uma celebração à cultura popular e tradicional do Ceará.

        Fabiano dos Santos Piúba – Secretário da Cultura do Estado do Ceará
                                                                                   
SÃO 59 GRAVURAS - TESOUROS VIVOS DO CEARÁ- MESTRES E MESTRAS DA CULTURA POPULAR TRADICIONAL
       ACESSE:http://www.cecordel.com.br/

30 ANOS PRESERVANDO E INCENTIVANDO O FOLHETO DE FEIRA-CORDEL-

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

 Espanha chora seus mortos

 Quando do encerramento da II Feira do Cordel Brasileiro, realizado nos dias 17 a 20 de agosto, na Caixa Cultural Fortaleza, o poeta Guaipuan Vieira ao se apresentar, leu este poema de cordel, em solidariedade ao povo espanhol, vítima de mais um atentado terrorista.
Espanha chora seus mortos
Toda Europa se enlutece,
O mundo com sentimento
Entre a emoção se entristece,
E aquela mão assassina
Vai seguindo sua rotina,
Para ver quem mais padece.

Mês de agosto, dezessete
Na região Barcelona,
Uma pessoa insensata
Numa van, o mal detona,
Sem mudar itinerário
A promover vil cenário
Com sua mente desumana.

Foi em via mais turística
La Rambla, muito famosa,
Atropelou tanta gente
Que a cena foi pavorosa,
A Europa se encontra alerta
Mas Barcelona desperta,
Muito enfrenta ação danosa.

Aquele povo espanhol
Mostra ação e esquece o medo,
Muito auxilia a polícia,
Informa tudo em segredo.
Que esse exemplo o mundo siga
E ao terrorista ele diga:
Que ficará sem enredo.

terça-feira, 25 de abril de 2017


XII Bienal Internacional do Livro e poetas populares

A XII Bienal Internacional do Livro, que aconteceu no Centro de Eventos do Ceará, entre os dias 14 a 23 de abril de 2017, é um dos maiores eventos culturais do Estado. Apesar de ter começado sexta-feira da semana santa, o fortalezense marcou presença para prestigiar esse evento que já se tornou o xodó do cearense. Exposição de livros, revistas e cordéis, apresentações de repentistas, cordelistas, debates, lançamentos para todos os gostos.  Na Praça do Cordel, sobre curadoria do poeta Klévisson Viana, dia 18, aconteceu a entrega de homenagens aos poetas Bule-Bule, Geraldo Amâncio, Zé Maria de Fortaleza, Gilmar de Carvalho e Josenir Lacerda. In memoriam a Rodolfo Coelho, Idalzira Bezerra, Hermes Vieira e Leonardo Mota. Rodolfo foi

comentado por Bule-bule, Hermes, por seu filho também poeta, Guaipuan Vieira. Klévisson Viana comentou a poesia do homenageado. Os poetas Paulo de Tarso, Edson Neto e Lucarocas recitaram versos daquele poeta piauiense que encanta gerações. A poetiza Idalzira, foi comentada uma peculiaridade. Ela comunicava-se com os filhos, em cartas versadas. Os filhos atribuíram à mãe a mesma modalidade, o que vem passando de geração em geração daquela família cearense. Também foi homenageado Leonardo Mota, folclorista que percorreu o Nordeste brasileiro, registrando acontecimentos, destacando a poesia popular. O poeta Guaipuan Vieira fez lançamentos dos folhetos
A suposta morte de Virgulino Ferreira, Lampião,  A peleja de Antônio Sola Crua com Zé da Prata,  Série Personalidades do Rádio Cearense, Edições Cecordel. 


Cordéis que foram lançados, e o troféu em homenagem ao poeta Hermes Viei
Séria: Personalidades do Rádio Cearense






 
Poetas: Lucarocas, Edson Neto e Paulo de Tarso,
recitam versos de Hermes Vieira.


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

CAUSO POÉTICO

Na véspera de Natal de 2015, o poeta Guaipuan Vieira estava com a família, na igreja de Fátima, em Fortaleza. Ao encontrar-se com o poeta Paulo de Tarso e esposa, improvisou esta sextilha:


Poeta Paulo de Tarso,
Com a esposa, grande dama!
Sei que a luz do Pai divino
À família mui proclama,
E segue agradando ao Pai,
Porque de paz não reclama.



sábado, 10 de setembro de 2016

PROJETO SOCIAL LANÇA LIVROS

A OSCIP chamada mais diferenças. Projeto de Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, lança dia 11 de setembro, na Casa Brasil, no Rio de janeiro, 25 livros, dentre eles a “Terrível história da perna cabeluda”, de autoria do poeta Guaipuan Vieira. Esta literatura popular que ganhou os palcos através de peça teatral e livros didáticos, agora ganha nova  modalidade cultural. As obras atendem pessoas com deficiência visual. 
Em abril de 2014 a Mais Diferenças firmou convênio com a Fundação Biblioteca Nacional, órgão ligado ao Ministério da Cultura, para executar o Projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, em 10 bibliotecas brasileiras selecionadas pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP). O projeto visa contribuir com o fortalecimento das políticas, programas e projetos relativos ao livro e à leitura, introduzindo a questão da acessibilidade e inclusão de forma articulada e transversal, contemplando seis etapas: Diagnóstico; Comunicação e Produção de Conteúdo; Qualificação do Acervo; Acesso à Tecnologia Assistiva; Capacitação das Equipes e Fomento ao Trabalho em Rede. A produção de livros em diferentes formatos acessíveis é uma estratégia relacionada à qualificação do acervo das bibliotecas, uma vez que a oferta de livros em diferentes formatos acessíveis ainda é bastante reduzida no Brasil.

 Lançamento: 11 de setembro de 2016                    
 Local: Casa Brasil
 Armazém 1 do Píer Mauá
 Avenida Rodrigues Alves,10, na Praça Mauá, Rio de Janeiro-RJ
 Horário: Das 14h30 às 16h30
  
Guaipuan Vieira, 65 anos. 40 anos produzindo cordel- Pertence a Academia Brasileira de Literatura de Cordel-ABLC e Fundador do Cecordel.
ACESSE:


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Concurso Nacional Novos Poetas. Prêmio CNNP 2016.

Estão abertas as inscrições para o Concurso Nacional Novos Poetas, Prêmio CNNP 2016. Podem participar do concurso todos os brasileiros natos ou naturalizados, maiores de 16 anos. Cada candidato pode inscrever-se com até dois poemas de sua autoria, com texto em língua portuguesa. O tema é livre, assim como o gênero lírico escolhido.
Serão 250 poemas classificados. A classificação dos poemas resultará no livro, Prêmio CNNP 2016. Antologia Poética. Concurso Literário e uma importante iniciativa de produção e distribuição cultural, alcançando o grande público, escolas e faculdades.
Inscrições gratuitas
Até 05 de setembro 2016 pelo site: www.cnnp.com.br

Realização: Vivara Editora Nacional
Apoio Cultural: Revista Universidade

ACESSE: 
http://www.cecordel.com.br/

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

CHICO SALVINO, O POETA DE MESSEJANA

Ah vida que todos têm,
Ah vida que poucos levam!
Vida que muitos agregam
Sem a sorte que convém.
      Guaipuan vieira

Recentemente visitei o poeta Chico Salvino. Apesar do mal de Parkinson, que dificulta seus movimentos, a memória está preservada. Ficou muito feliz, como era de se esperar. Pensava que se achava esquecido dos amigos poetas. Contou causos e recitou poemas. Salvino nasceu e se criou na localidade de Fechado em Acopiara, Ceará, em 17 de agosto de 1948. Começou a carreira poética escrevendo letra musical, mas sem obter êxito. Em 1977 mudou-se para Fortaleza. Nos anos 90, tomou conhecimento do Cecordel e a partir de então foi aconselhado a escrever cordel. Aceitou o desafio. Tem uma produção de 60 títulos e alguns inéditos. Em 2001 conquistou o 1º lugar no Concurso de Literatura de Cordel, realizado pela Casa de Juvenal Galeno, em homenagem aos 100 anos de nascimento do poeta Jáder de Carvalho.


Senhor Jáder de carvalho
Um homem de grande porte
Conheci sua luta forte
E hoje não me atrapalho
Pois o assunto eu espalho
Para ter repercussão
Ele que veio do sertão
Soube se qualificar
E homenagem vai ganhar
De quem vive neste chão (...)

Prosando comigo
                                     
“Eu nasci em Acopiara
Pertinho do Iguatu,
Porém moro em Fortaleza
Terra de muito caju;
Meu bairro é Messejana,
   Mas piso em toda semana
   Nas terras do Guajiru.”
  
*****
“Minha cabeça está branca
Mas confesso não pintei,
O tempo se encarregou
Uma verdade eu bem sei.
A natureza nunca erra
Bota agente na Terra
E depois devolve ao Rei.”

(Entrevista com o poeta Guaipuan Vieira, para Rádio Pitaguary-1340 KHZ) 

 ACESSE: http://www.cecordel.com.br/