sábado, 5 de maio de 2018

A PRISÃO DO EX-PRESIDENTE LULA EM CORDEL - A literatura de cordel continua sendo um informativo formador de opinião. Os poetas Guaipuan Vieira e Jotabê, de Fortaleza, escreveram sobre a prisão do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. De Jotabê, Lula na prisão-Menos um ladrão. Guaipuan, Lula - do Palácio do Planalto ao presídio. 


Lula-do Palácio do Planalto 
ao presídio. Guaipuan Vieira
Outra vez a minha pena
Auxilia a minha rima
E a inspiração navega
A mente como uma mina
E dela escrevo u'a história
Pra muitos de pouca estima.
Mas a vida de poeta
Que escreve por vocação
Ele mantém o folheto
Como existiu no sertão,
Sendo agente de notícia
Para dar informação.
Porém não tiro a razão
De quem defende e acusa,
Cada mente uma sentença
É o livre arbítrio que usa,
Mas entendo que o culpado
Sempre seu crime recusa.
De Lula um ex-presidente
Deste país muito amado
Se destina esta história
Pelo leitor, esperado
Por ele ser personagem
Popular, de bom agrado.
Desse filho nordestino
Do estado pernambucano
Deve-se reconhecer
Que o governo fez bom plano
Isto em prol do social
Negar é ser desumano.
Mas o Lula decantado
Pelo povo brasileiro
Se deixou ser abatido
Por um ato corriqueiro
O da ganância que chega
Contudo fala primeiro.
(...)
De seu partido ele é vítima
Sei que tem gente honesta
Porém essa minoria
Por ser boa ela não presta
Sempre foi uma voz vencida
Por quem o certo detesta.
Os ímprobos do partido
Com seu plano arquitetado
Tendo Lula o companheiro
Pra trama ele foi usado
Descoberto, se calou
Para não ser difamado.
Ele até que fez esforços
Pra desgaste não sofrer
Mas o tempo ele observa
Faz tudo transparecer
Embora demore um pouco
Nada tem para esconder.
Descoberta a falcatrua
Do chamado mensalão
Pago pra parlamentares
Pelo chefe da nação
Contrariando os projetos
Sem ter sua aprovação.
Mas um membro desse esquema
Nervoso fui delatar
E os vinte mensaleiros
Terminaram no lugar
Onde o trambiqueiro mora
Cadeia sendo o lugar.
Com isto a imagem de Lula
Começou ser desgastada
Mas Jefferson,delator
Bem esperto na jogada
O isentou desse vexame
Fazendo grande cartada.
Lula que era presidente
Deste país tropical
Em seu cargo se manteve
Escapou do vendaval
Dos corruptos do Congresso
Desde o tempo de Cabral.
(...)
Não cessaram acusações
A Lula e seu partido
E mesmo sem ter as provas
De seu crime cometido
O líder foi condenado
O grande fato ocorrido.
Hoje preso em uma cela
Atento escuta o refrão
É do povo dividido
Que não enxerga a razão
De Lula ser o político
Divisor de opinião.
Conceito de amor e ódio
Fazem a diversidade
E Lula por ser um mito
Sua corruptividade
Seus vassalos o defende
Não importa a gravidade.
E o misto de salvador
De seu rebanho esperado
Mesmo fora da política
Ele será cultuado
E outro líder no Brasil
Não chega ter resultado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário